A pegada ecológica e a contabilidade ambiental, Eficiência dos recursos naturais e Impactos dos resíduos da indústria da construção civil

ImageÉ crescente o número de empresas que demonstram preocupação em preservar o meio ambiente. De fato, corporações que respeitam o planeta, reduzindo o impacto causado na natureza, lucram de diferentes maneiras. Primeiro, por serem bem-vistas no mercado, tanto por consumidores diretos quanto por investidores, segundo, por atingirem uma significativa diminuição de custos. A Contabilidade Ambiental é o caminho para a apresentação desses dados.

A Contabilidade Ambiental não se trata de uma nova contabilidade, mas de um conjunto de procedimentos técnicos utilizados pela contabilidade para registrar e informar os procedimentos de proteção ao meio ambiente adotados pela pessoa jurídica que desenvolve atividades que podem provocar danos ambientais. No Brasil, há apenas dois tipos de contabilidade: a contabilidade das pessoas jurídicas de direito privado e das de direito público. Através dos registros, a contabilidade gera informações que se refletem na demonstração patrimonial e na demonstração econômica, para que o contador analise e decida o que deve ser feito a fim de proteger esse patrimônio.

ImageA pegada ecológica, assim como a contabilidade ambiental apesar dela se restringir a indústria, tem a intensão de reduzir e destacar o impacto que as cidades têm sobre o ambiente. Ela foi desenvolvida representando a área de território que é precisa para fornecer os recursos necessários e absorver os resíduos gerados pela comunidade. Ela é usada ao redor do globo como um indicador de sustentabilidade ambiental e pode ser usada para explorar a sustentabilidade do estilo de vida de indivíduos, produtos e serviços, organizações, setores industriais, vizinhanças, cidades, regiões e nações.

Consequentemente isso surgiu milhões de alternativas como a melhor utilização dos recursos naturais e a construção de arquitetura sustentável. A melhor utilização dos recursos é o uso mais eficiente dos recursos naturais e da mão-de-obra.  Controla-se rigorosamente o material empregado, seja para minimizar custos, seja para reduzir custos de fabricação e de transporte.  Preferencia sempre fazer o uso preferencial de materiais regionais (<804 km), além de materiais de origem renovável, nas obras a separação e destino dos resíduos da obra e claro, fazendo as obra com baixo impacto no entorno.

Sempre importante na construção civil reunir tecnologia, urbanização ecologicamente responsável e natureza em uma localização privilegiada. O projeto de arquitetura sustentável  apresenta soluções eficientes para elevar a qualidade de vida dos moradores em equilíbrio com a sustentabilidade social, econômica e política.  As tecnologias limpas aplicadas evitam desperdícios, eliminam impactos ambientais e reciclam resíduos.

Em toda construção multifamiliar, por exemplo, deve ser prevista a organização para a reciclagem do lixo doméstico e o controle do desperdício de água através de  torneiras que reduzam o consumo. Os projetos de arquitetura devem facilitar o uso e a manutenção dos equipamentos da edificação e especificar materiais renováveis e ecologicamente indicados. As  madeiras de reflorestamento, por exemplo. É importante saber usar os produtos que a natureza oferece para desfrutar destes recursos para sempre, argumenta o arquiteto. Os sistemas de automação residencial como os  cenários de luz também fazem parte do conceito de sustentabilidade, pois geram economia de energia elétrica.

Não podemos esquecer que a construção civil é fonte geradora de resíduos sólidos em quantidades e variedades diversas. A grande quantidade de resíduos sólidos é gerada pela falta de conscientização ambiental, pela deficiência no planejamento e execução de obra, mão-de-obra desqualificada, fazendo com que a sociedade tenha problemas com assoreamento dos rios, inundações e degradação de áreas etc.

Os resíduos sólidos da construção civil quando reciclados podem ser aproveitados em outros setores da economia. Quando fazemos um processo de classificação e moagem dos resíduos sólidos, obtemos agregados para diversas finalidades, tais como: base para pavimentação, contenção de encostas, blocos de concretos, tubos para drenagem etc. Podemos com custos competitivos obter produtos similares e com ótimo desempenho.

Em relação à construção civil, o aproveitamento de resíduos é uma das ações que devem ser incluídas nas práticas comuns de produção de edificações, visando a sua maior sustentabilidade, proporcionando economia de recursos naturais e minimização do impacto no meio – ambiente.

O potencial do reaproveitamento e reciclagem de resíduos da construção é enorme, a incorporação destes resíduos em determinados produtos pode vir a ser extremamente benéfica, já que proporciona economia de matéria-prima e energia.

O profissional da construção civil deve se conscientizar que o resíduo sólido gerado em suas obras é um material que faz parte de um mercado já existente. Uma obra com planejamento de resíduos sólidos garante uma correta reciclagem de materias nos canteiros de obras.

Com a reciclagem de resíduos sólidos na construção civil, vamos minimizar impacto ao meio ambiente, gerado pela produção de materiais de construção, minimizar poluição e um desenvolvimento mais sustentável e preservar o meio ambiente.