Energético mata?

Recebi hoje de minha digníssima senhora mamys um email super preocupado seguido de uma linda corrente falando mal dos efeitos do energético que pode matar e afins… Eu nunca escondi de ninguém meu vicio por cafeína, hoje mesmo tomei coca-cola com energéticos acompanhados de boas e quentes xicaras de café, isso durante o dia e a noite toda, então cumprida minha meta de trabalhos e pendências proposta a madrugada fui pesquisar sobre se realmente o tal faz mal e o que descobrir…

Cafeína… Matar mata! Como havia dito há tempos atrás neste post [Necessidades arquitetônicas que MATAM: CAFEÍNA]… Mas é MUITO difícil isso acontecer o que se conclui que: Em excesso, nada faz bem, mas as bebidas energéticas não têm nenhuma substância que possa causar um grande mal a quem as ingere.

Na verdade, os energéticos nada mais são do que refrigerantes com uma dose maior de cafeína e uma pitada de taurina, substância presente no nosso corpo que aumenta a resistência física. Cafeína em excesso faz mal, eu mesmo falo isso sempre e com toda razão, mas a quantidade dessa substância nos energéticos não é grande coisa.

Uma lata de energético tem a mesma quantidade de cafeína que 50 ml de café (uma xícara pequena), 600 ml de Coca-Cola ou 200 ml de chá preto. Portanto, se você tomar muitas latinhas de energético, um efeito possível é a sensação de queimação  afinal, a cafeína estimula a liberação de substâncias ácidas no estômago , mas isso só acontece com pessoas que já têm algum problema estomacal, como gastrite. O que não é meu caso…

O grande problema do energético é que, em bares e baladas (aqui em Ouro Preto chamados de Rock), ele é misturado a bebidas como vodka e whisky. Além de diluir o álcool e deixar a mistura mais agradável ao paladar, MUITO MAIS MESMOOOO, a cafeína e a taurina deixam a pessoa mais agitada, impulsionando-a a beber mais. Mas isso vamos ser sinceros, é da conta de cada um, cada vive com o fardinho de álcool e energético que suporta.

PORÉM eu achei uma matéria falando de um estudo, que não sei se tem realmente bases confiáveis e afins, que dizem  ser possível que os energéticos prolonguem a excitação desencadeada pelo álcool e levem as pessoas a fazer um juízo errado das suas capacidades. Mas sinceramente, não precisa de nenhum energético para sujeito mamado encher a cara dizer “to bem, to bem…” e pegar o carro e partir no mundo. Perdi um amigo assim esse ano. Por isso acho uma LOUCURA esse tal de “tá bem” a dica é fazer uma caminhada pós-rock ou mesmo pegar um taxi.

Fico por aqui!

Beijos e se beber não dirijam!

HOJE É DIA DE ROCK, BEBÊ!