Pasta alla Puttanesca

Que tipo de estudante não vive de macarrão? Eu especialmente não suporto mais miojo, então como adoro cozinhar e macarrão é sempre uma receita rápida para quem não tem tempo para perder horas e horas na cozinha, o que se encaixa na vida dos arquitetos, então fazendo meu almoço esses dias decidir blogar sobre minha massa favorita, se erra me desculpem, não sigo um livro especifico, apenas a produzo.

A origem deste prato é bem discutível, mas pelo nome já podemos ter uma dica “à moda das prostitutas”. Alguns cozinheiros pensam ser possível que uma prostituta chamada Yvette la Francese, que tinha um posto de cheff além do bordel, pode ter inventado este prato. Há outras versões que afirmam que o prato era feito com maccheroni e denominado A la Marinara, tendo mudado de nome depois da Segunda Guerra.

São dadas em conta várias as origens do molho, mas é provável que data de meados do século XX. A referência impressa mais adiantada deste prato, como identificado pelo “Grande dizionario della lingua italiana”, é a novela de Raffaele La Capria: “Ferito a Morte” datada de 1961, que se refere ao “spaghetti alla puttanesca come li fanno a Siracusa” (espaguete à puttanesca como feito em Siracusa).

Em resumo em pesquisa rápida foi o que achei sobre a história, o que também acho muito legal. (Confesso!) E uma coisa importante a ressaltar que me deixa PARTICULAMENTE nervosa é… NÃO SE COME MACARRÃO COM FACA. Agradecida… hehehehe! Usem garfo e colher e seja feliz.

Agora sem mais delongas, vamos à receita:

  • – 500g de massa ( Spaghetti )
  • – Azeite de oliva- 2 dentes de alho amassados
  • – 1 taça de vinho tinto
  • – Meia cebola picada
  • – 1 lata de tomate cozido sem pele
  • – 400g de tomate italiano(sem pele e picados em cubos)
  • – 50g de filé de anchovas
  • – 100g de azeitonas pretas grandes (sem caroço)
  • – Manjericão picado
  • – Orégano fresco- 50gr de alcaparras
  • – 100gr de champignon em laminas

Considerações sobre os ingredientes:

Massa: Eu particularmente prefiro massas importadas o que deixa ela naturalmente al dente (durinha). Mas podem ser utilizadas massas a base de trigo e ovos normais tranquilamente.

 Vinho: Não precisa ser grandes vinhos, mas é importante que também não seja sangrias, que muitos acham ser vinho.

Tomates: Recomendo utilizar os tomates inteiros, maduros, sem pele e cozidos.

Tomates 2: Dica pra tirar a pele do tomate, basta espetar ele e passar em cima do fogo por alguns segundos, a casca vai ‘rachar’ e fica fácil de puxar com a mão. Prefira sempre o italiano para molhos de preferência maduro e orgânico.

*Anchovas: Pode ser as anchovas em conserva mesmo, vamos usar o óleo da conserva.

*Azeitonas: Aqui vai uma dica bem legal, compre as azeitonas COM caroço e retire você mesmo, pelo fato de ser conservada com caroço ela continua com o sabor de fresca. Pra retirar o caroço tem uma dica bem fácil, prense a azeitona com a faca de lado e aperte com o dedo que o caroço vai sair facilmente!

*Champignon: Assim como as azeitonas, prefira os inteiros aos picados.

* Apesar de me da muita dó, esses são ingredientes mais caro, e como todo estudante é pobre pode se tirar eles, mas já fica a dica que muda, e muito, o sabor do molho, apesar que ainda sim fica gostoso.

Modo de preparo:

– Primeiramente vamos fazer o molho, coloque no liquidificador os tomates cozidos e uma boa pitada de manjericão fresco, bata até virar um molho, cozinhe esse molho por alguns minutos até engrossar. Eu particularmente não coloco no liquidificador, apenas pico em pequenos pedaços tomates bem maduros e deixo cozinha para ele derreter ao fogo.

– Frite a cebola e o alho em azeite de oliva até ficarem dourados e reserve (tem de ser reservado, pois o alho e cebola fritos por muito tempo ficam com gosto amargos).

– Retire as anchovas da conserva e pique bem pequeno, após frite as mesmas com um pouco do óleo da conserva até que desapareçam. Adicione então o molho de tomate e em seguida o vinho (O vinho vai ao seu gosto, só não coloque muito, pois ele pode sobrepor o gosto do resto). Adicione as cebolas e o alho ja fritos. Adicione então os tomates picados, champignon, azeitonas e alcaparras (lave antes para tirar o excesso de sal e não coloque muitas pois o gosto é muito forte). Espere até o tomate estar bem cozido e sirva.

– A massa pode ser preparada al dente, o tempo varia de acordo com a massa que você escolheu (observe na embalagem).

– Coloque a massa no prato e despeje generosamente o molho, para finalizar decore com uma boa pitada de orégano fresco. E um bom queijo se gostar…

Agora é comer e arrumar a cozinha… SOFRIMENTO! hauHAUhau