Espaço e Identidade: Espaço público e privado

Com o a busca constante dos lugares para o entretenimento, os espaços públicos como as ruas, as calçadas, as praças entre outros acabaram sendo modificados para novos valores e significados.

Toda a agitação cotidiana da vida agitada das cidades modernas e ainda por cima os problemas sociais e de segurança fazem com que um novo ambiente urbano muito pouco favorável para a vida comunitária nos lugares públicos, o que muitas vezes resulta na interiorização da vida, para que lá se encontrem lugares que se voltam para si e menos para a cidade.

Essa busca pelo comunitarismo que as cidades interiorizadas normalmente prezam vai de contra-mão ao pregado nas grandes cidades, onde  mesmo no espaço público o indivíduo é valorizado como indivíduo e não como coletivo.

Enquanto no espaço público da cidade o indivíduo é dado pelas relações impessoais o espaço público das cidades interiorizadas é dado pelas relações de amizades e relações muitas vezes de compadrio.

No espaço privado das cidades interiorizadas podemos exemplificar a casa, essa casa onde há relações de afetividade, onde se sentem bem e expande seus sentimentos de coletividade e cordialidade. Já no espaço privado das grandes cidades a casa é vista como descanso e refugio, a total liberdade do mundo agitado e veloz que o espaço público nos encarga.

A pose de uma casa causa dualidade na noção de espaço público e privado, entrando em constante confronto entre o espaço interno (privado) e o espaço externo (público). Podemos dizer que o espaço urbano, sendo ele aberto ou fechado, externo ou interno, público ou privado, se definido pelo seu uso especifico, pelas atividades que são desenvolvidas nele. Atividades do coletivo, ou seja, do social e atividade particular, onde o “estar só” da intimidade demarca limites.

A natureza de um espaço determina os tipos de relacionamentos entre as pessoas, sendo, a conformação urbana um dos fatores que caracteriza a forma e o tipo de uso do espaço. Assim, o que determina se o espaço é público ou privado é o uso que se faz dele. Mesmo que um espaço seja destinado a um fim específico, nem por isso desempenhará a função para a qual foi construído. O tipo de uso ou o não-uso serão determinados pelos valores da população que o utiliza.

O espaço constitui um código social que fala de outros códigos sociais, ou seja, o espaço é o modo pelo qual a sociedade não só reflete sobre si mesma como ela própria é um reflexo da identidade da sociedade.